NAE

NÚCLEO DE ATENDIMENTO AO ESTUDANTE – PROJETO DE ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO

1. Introdução

O processo de aprendizagem que engloba todos os sujeitos no âmbito do ensino superior, passa por grandes transformações na sua estrutura pedagógica tradicional. Tais transformações trazem consigo inovações na interação professor-aluno-aprendizagem no espaço universitário, fazendo emergir novas demandas que reclamam pronto atendimento.

O NAE – Núcleo de Atendimento ao Estudante da Faculdade de Direito de Ipatinga – FADIPA- pretende possibilitar aos alunos regularmente matriculados e egressos de seus quadros uma melhor reflexão crítica sobre seu papel enquanto sujeito ativo do processo ensino-aprendizagem, disponibilizando a esses alunos atendimentos específicos e de acordo com suas necessidades particulares.

Cabe ao NAE ainda criar e executar estratégias de diagnóstico e intervenção psicopedagógica com fincas a garantir o acesso, bem como a permanência dos alunos nos cursos de graduação da Fadipa, com foco principalmente em eventuais necessidades educacionais especiais.

2. Base Teórica de Referência

De acordo com Kiguel, a psicopedagogia “está se estruturando em torno do processo de aprendizagem humana: seus padrões evolutivos normais e patológicos – bem como a influência do meio (família, escola, sociedade) no seu desenvolvimento” (Bossa apud Kiguel, 2000, p.24).

Já Neves esclarece que:

A psicopedagogia estuda o ato de aprender e ensinar, levando sempre em conta as realidades interna e externa da aprendizagem, tomadas em conjunto. E, mais, procurando estudar a construção do conhecimento em toda a sua complexidade,procurando colocar em pé de igualdade os aspectos cognitivos, afetivos e sociais que lhe estão implícitos (Bossa apud Neves, 2000, p. 24).

O trabalho psicopedagógico se fundamenta na ideia de que é preciso, nos dias atuais, compreender que o autodesenvolvimento é necessário, pois proporciona, conhecimentos e vivências que nos sensibilizam para a mudança de postura, de paradigma, da percepção de si próprio, das relações sociais e do mundo que somos parte.

Estimular os alunos à redescoberta de suas capacidades, estimulando a exteriorização do potencial criativo e dinâmico, tornando-se um profissional mais seguro, mais expressivo, sabendo relacionar seus conhecimentos acadêmicos a sua realidade profissional e social, são objetivos do trabalho.

Gramigna (2002), levanta a questão: Por que investir em pessoas? E nos apresenta algumas respostas:

Sem as pessoas, qualquer tecnologia, por mais necessária e inovadora que seja, não funciona; Pessoas têm o dom de fazer o sucesso ou o fracasso de qualquer empresa; Pessoas trazem dentro de si histórias de vida, emoções, saberes, valores, crenças e expectativas; Pessoas têm necessidade de integrar seus sonhos a um projeto coletivo.

3. Público-alvo

Todos os estudantes, corpo técnico administrativo, funcionários, professores e egressos dos Cursos mantidos pela FADIPA.

O atendimento destina-se aos alunos indicados por professores a partir das dificuldades apresentadas no desempenho acadêmico ou por solicitação dos próprios estudantes, após triagem para comprovação da real necessidade da intervenção educativa.

4. Justificativa:

Ao ingressarem no ensino superior, os alunos apresentam problemas, tanto de ordem cognitiva como relacional. Muitas dessas dificuldades fizeram parte de toda a sua vida escolar são frutos de uma educação tradicional que primava pela massificação de conteúdos em detrimento do desenvolvimento das habilidades.

O ambiente universitário requer do aluno uma nova postura, é um sistema que exige adaptação, autonomia, uma rotina de pesquisa, articulação de ideias e a utilização das tecnologias. Além das exigências acadêmicas, há exigências do próprio mercado de trabalho.

A partir da lei nº 10 861, de 14 de abril de 2004, que institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), ficou estabelecido, em seu Artigo 3º, a forma de avaliação das instituições de educação superior, a qual terá por objetivo identificar o perfil e o significado da atuação de tais instituições, por meio de suas atividades, cursos, programas, projetos e setores, considerando as diferentes dimensões institucionais, dentre elas, obrigatoriamente, as políticas de atendimento aos estudantes.

Diante da constatação empírica da importância de um núcleo de atendimento ao aluno e dos referenciais teóricos e científicos no campo da psicopedagogia, a Universidade Presidente Antônio Carlos de Mariana, com vistas ao aperfeiçoamento de seu processo educativo, implantou o NAE – Núcleo de Atendimento ao estudante, visando à integração de vários setores da comunidade acadêmica, agindo como interventor e facilitador do processo da aprendizagem discente.

5. Objetivos:

5.1 – Geral:

Orientar os alunos e professores utilizando técnicas psicopedagógicas, detectando deficiências na aquisição do conhecimento e de aprendizagem, para agir adequadamente no sentido de se obter maior e melhor rendimento acadêmico.

5.2 – Específicos:

I . Atender alunos e professores visando orientação educacional.

II . Desenvolver programa de estimativa de potencial, buscando o conhecimento do aluno e facilitando o processo de auto-conhecimento.

III . Orientar os alunos dos últimos anos sobre o processo de seleção de pessoal, elaboração de currículo, comportamento em entrevista, participando em atividades de grupo entre outros pontos. Desenvolver programa específico, Rito de Saída, para alunos formandos, permitindo vivenciar sua formação acadêmica e ingresso no mercado de trabalho.

IV . Detectar problemas e deficiências no processo cognitivo e do aprendizado, em grupo e individual.

V . Orientar o aluno na metodologia e no planejamento do estudo e da aprendizagem. Realizar treinamento programado para desenvolvimento da inteligência, memória, concentração, leitura dinâmica e criatividade.

VI. Orientar sobre formação complementar.

VII. Informar sobre técnicas de estudo.

VIII. Orientar sobre o enfrentamento de situações de ansiedade durante as épocas de provas, por exemplo, entre muitos outros).

IX. Desenvolver Programa de Integração de novos alunos, contribuindo com a sua adaptação, integração e participação no decorrer do curso.

X. Elaborar e coordenar atividades de desenvolvimento da habilidade de relacionamento intrapessoal e interpessoal.

6. Metodologia

O NAE em suas atividades busca compreender as demandas específicas de seu público alvo por meio de entrevistas individuais aos alunos em geral, representantes de turmas, diretório acadêmico, professores, coordenação, dentre outras ações diagnósticas.

7. Metas a serem alcançadas:

– Maior integração entre corpo discente e docente;

– Melhor efetividade do processo ensino- aprendizagem;

– Soluções para dificuldades de aprendizagem individuais e/ou coletivas;

– Diagnósticos, terapêuticas e acessibilidade, demandadas pelos alunos portadores de necessidades especiais;

– Diminuição da evasão acadêmica;

8. Avaliação dos Resultados:

A avaliação das ações do NAE terá caráter processual assumindo dimensões da avaliação que visa identificar necessidades de redimensionamentos, ampliação de ações, transformação de sujeitos e processos, conforme definido pela CPA

Agende um atendimento psicopedagógico – Projeto EVOLUIR

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support